A Punch deu um salto ali a Sagres, ao Super Bock Surf Fest para assistir à primeira vez em Portugal de um dos reis do “hip-pop” contemporâneo, Kid Cudi. Tal como manda a “etiqueta rapper”, o concerto teve início após um atraso de 25 minutos, entrando com “Revolution of Evolution” numa alternância regular entre músicas mais calmas e mais mexidas.

Cudi interagiu bastante com o público, tentando cativar os seus “verdadeiros fãs” com a faixa do seu primeiro álbum “Man on the Moon”. O cantor aproveitou ainda o facto de se encontrar num festival com tradição reggae para fazer uma apologia às drogas leves antes de cantar o tema “Marijuana”, conseguindo reacção do público, ainda que tenha assumidamente deixado de as fumar em Abril deste ano.

Melhores momentos do concerto foram, logicamente, os singles “Erase Me”, “Mojo So Dope” “Pursuit of Happiness” e nas suas músicas mais animadas “Memories” e “Day’nNight” que Kid Cudi pôs realmente o público a cantar e dançar.

Concerto satisfatório, com boa ligação ao público (maioritariamente adolescente), Cudi foi aceitando inúmeros presentes da plateia, entre os quais uma bandeira nacional marcada com o seu nome que afirmou “ir para a parede do seu apartamento em Nova Yorque”. De destacar a falta da música “Make her Say”, um dos seus melhores temas, bem como a de “No one believes me”, cujo vídeo foi lançado no dia do concerto, não merecendo sequer qualquer referência por parte do cantor de Cleveland.

Daniel de Sousa Rodrigues

Subscreve a Punch TV!