No terceiro dia do 4º aniversário do Musicbox a noite encheu-se de surpresas e grandes estreias com TEED e DISCOTEXAS Band a fazerem estremecer as paredes do afamado club do Cais do Sodré.

Numa rua que passou a ser rosa-shock as danças tornaram-se selvagens e sensuais, num ambiente de euforia reptilínea. Depois de ter cancelado um primeiro concerto há cerca de um mês o produtor/cantor londrino Orlando Higginbottom subiu ao palco num fato de dinossauro com longas cristas acima da cabeça, ou não se chamasse o seu projecto synth-pop Totally Enormous Extinct Dinosaurs, abreviado por TEED.

Depois de ter estado no Congo a convite de Damon Albarn com o projecto DRC Music, TEED voltou para animar a noite de Lisboa com ritmos house progressivo e sintetizadores disparados em velocidades cósmicas em todas as direcções. Duas bailarinas de cabeleira azul e verde completaram o cenário de descontrolo absoluto, dançando coreografias loucas em jeito de Major Lazer em “Original Don” com vestidos justos de T-Rex (com caudas a condizer e peitos triangulares a la Madonna). Numa cadência pautada por rugidos ferozes, batidas club ora tribais, ora espaciais o cantor levou o público ao rubro com malhas incendiárias como “Trouble”, “Garden”, o fenomenal “Household Goods” ou a mais recente “Dream On”, canções sabidas na ponta da língua por todos os presentes (para nossa surpresa).

Era agora hora de vermos a mais recente banda Portuguesa, Discotexas Band composta por Luís Gomes, Bruno Cardoso, Teresa Sousa e Luís Calçada. Estes nomes provavelmente não vos dizem grande coisa, mas se eu vos disser que três deles são Moullinex, Xinobi e Da Chick? Pois é, tantas referências numa frase apenas, só podia dar coisa boa. E deu.

A experiência é de facto inovadora, pelo menos cá em Portugal, mas os texanos já nos têm habituado a este tipo de novidades. Agora com Da Chick, num registo algo diferente daquilo a que nos tem habituado, deram-nos uma versão banda de músicas como “Sunflare”, “Girl Talk”, “Best Of Me” ou a muito cantada “Maniac”. Acompanhados de uns visuals a preceito (da autoria de Rodrigo Carvalho, da Visiophone), a banda desfilou por um lado charme e categoria, e por outro doses de uma garra e pujança inigualável. O público, esse não conseguia caber em si, contagiado que estava pelas corrosivas malhas electrónicas. Os ecos da voz em “X Marks The Spot” ainda estão de certeza agarrados às paredes do Musicbox, tal foi o coro que provocou da plateia.

“Uuumba, ahh Umbaaa, ah Umbaaa, ah Uuumbaaa, hey!”

Fiquem aí com a tracklist:

Moullinex – Love It is Then
Mirror People – Feel The Need
Moullinex & Xinobi – X Marks The Spot
Kamp – Cairo (Moullinex Remix)
Moullinex & Xinobi – Human Fly
Moullinex – Takedown
Moullinex – Sunflare
Justin Faust – Girl Talk
Xinobi – Valsa in NJ
Moullinex – Lover In Me
Xinobi – Hawaii
Xinobi – BMX
Xinobi – BMX (+Moullinex Remix)
Moullinex – Modular Jam
Moullinex – Superman (+Xinobi Remix)
Moullinex and Peaches – Maniac (Remix)
Xinobi – Best of Me

Texto: João Pacheco e Pedro Lima

Fotos: João Pacheco

Subscreve a Punch TV!