My Mexefest is Better Than Yours é a nova rubrica, na qual abordamos artistas e personalidades nacionais que já passaram pelo Vodafone Mexefest, sobre a sua experiência de actuar no festival e a sua opinião relativamente à importância do festival no contexto da divulgação da nova música nacional e internacional. Para além disso ainda partilham o seu roteiro ideal e uma playlist com as músicas que mais querem ouvir nesta edição do festival. Hoje temos a opinião de um músico, produtor e DJ, que respira música (com um CV claramente invejável), que correu esse mundo fora com os seus X-Wife e que tocou com alguns dos maiores nomes contemporâneos. Falamos claramente de Rui Maia.

A experiencia de ir tocar ao Vodafone Mexefest
Tive a oportunidade de apresentar o meu projecto Mirror People na edição de 2014 do Mexefest. A minha sala foi o Coliseu dos Recreios numa espécie de after-party depois dos concertos mais convencionais. Na altura actuava sozinho em palco e fazia uma espécie de “Live Act” onde explorava e dava novas texturas às canções de Mirror People.

A importância do festival na cidade de Lisboa e no contexto da divulgação da nova música portuguesa e internacional
Foi uma experiência interessante de onde destaco o conceito do festival, o seu cartaz com um timbre mais alternativo e o apoio às bandas portuguesas que acabam por representar grande percentagem do alinhamento de ano para ano.

O roteiro ideal para a edição de 2016
Gostava imenso de ver os Whitney que têm um excelente disco, assim como o Kevin Morby que já conheço há imenso tempo mas nunca tive oportunidade de ver ao vivo. Sinto também uma certa curiosidade pelos The Invisible e também pelos Jagwar Ma que têm um novo single que gosto muito de nome OB-1.

8 músicas que mais querem ouvir no Festival

Jagwar Ma – “OB1″
Whitney – “No Matter Where We Go”
Kevin Morby – “Dorothy”
Bruno Pernadas – “Spaceway 70″
The Invisible – “Love Me Again”
Ganso – “Pistoleira”
Baio – “Sister of Pearl”
PZ – “Mundo”

Punch Redacção