Lisboa Dance Festival apresentou-nos um cartaz bastante ecléctico  e prepara-se para tomar de assalto o Lx Factory, no que promete ser uma edição memorável. Para nos irmos preparando para o festival, pedimos a alguns artistas que vão actuar no festival, para fazerem uma selecção de músicas de electrónica.

Desta vez foram Pedro Rodrigues, Nelson Silva e Samuel Gonçalves a elegerem as suas 10 músicas e a explicarem-nos num pequeno parágrafo o porquê. Os Holy Nothing descem desde a Invicta até à capital a 11 de Março para dominar a pista de dança do Lisboa Dance Festival num concerto imperdível. A contagem decrescente já começou!


01. “Crosseyed and Painless”, Remain in Light – Talking Heads: Esta música, ou melhor, este disco todo! Remain in Light é um álbum que revisitamos inúmeras vezes. Representa o melhor dos Talking Heads, o momento que une David Byrne e Brian Eno e sobretudo um ponto crucial naquela ponte cultural até África.
02. “Yeah – Pretencious Mix”, LCD Soundsystem – LCD Soundsystem: Uma referência óbvia à música anterior, que, por um lado, reforça a sua intemporalidade e que, por outro, demonstra que para construir a máquina avassaladora que foram/são os LCD Soundsystem não é preciso inventar a pólvora.
03. “Stilettos”, Latin – Holy Fuck: Engrenagem selvagem operada por 4 corpos em luta constante para dominarem a imprevisibilidade de todas as máquinas que ocupam o palco. Experiência performativa que nos fascina e na qual os Holy Fuck são absolutamente exímios.
04. “Safe and Sound”, Woman – Justice: Referências, Referências, Referências… Em Era de excesso de informação a mestria está em apertar o filtro, e não só no passado jazem as mais ricas e válidas referências.
05. “Made to Stray”, Cold Spring Fault Less Youth – Mount Kimbie: Também fazem parte do cardápio do Lisboa Dance Festival e é com certeza uma das duplas que mais nos desperta atenção no panorama actual da música electrónica.
06. “Chrono”, Tour de France – Kraftwerk: Não fica mais épico que isto: revisitar tardes da nossa infância colados ao televisor a ver o tour ao som dos mestres.
07. “It means I love you”, Oh no – Jessy Lanza: Jovem revelação da música electrónica vinda do Canadá que também estará presente na LDF. Mais que a sua voz doce é nas inusitadas construções rítmicas que nos surpreende.
08. “Tsekeleke”, Nozinja Lodge – Nozinja: Fica aqui o Nozinja só para perceberam que na altura de construir o filtro nem a Jessy Lanza escapa ao frenético andamento da África do Sul, isto porque a música anterior tem por base um sample de 4 segundos deste mestre.
09. “Spoiler”, 64 Bits & Malachite – Baloji: Melhor surpresa do Euronic-Noorderslag deste ano. Festa tropical, rodeada pelas temperaturas negativas de Groningen, debitada por um banda fantástica orientada pela batuta do rapper Congolês, Baloji.
10. “Space is the Place”, Space is the Place – Sun Ra: Vemo-nos no dia 11 de Março, até lá boa viagem ;)

Punch Redação