Muitos são os projectos portugueses que nos cativam permanentemente pela sua evolução musical ou pela experimentação em terrenos antes inexplorados. E os Mirror People são um desses projectos… Depois da viagem alucinante que foi Voyager, eis que vemos a “luz ao fim do túnel”, com o lançamento do novo álbum no final deste mês.

Bring The Light, composto e gravado durante o ano passado, é descrito por Rui Maia, como sendo mais urbano, pessoal e diferente do anterior, invocando influências dos filmes de Stephen King, a new wave dos Human League e Soft Cell, os primordios do hip hop, a pop sintética mais recente dos Hot Hip ou o som de Minneapolis de Prince. Ou seja, invocando as sonoridade mais sintéticas e fortes da década de 80. Neste novo registo vale ainda realçar a participação de Jonny Abbey (da qual vamos falar muito em breve), o novo partner in crime de Rui Maia, que para além de estar presente nas vozes, assinou a mistura e escreveu as letras dos temas. Aliás como Rui Maia refere, (…) conseguiu por em palavras a minha visão para este trabalho, focando temas que fazem parte do meu imaginário e da estética de Mirror People.

“Crime Scene” é o primeiro single e um excelente cartão de visita para as sonoridades do novo álbum que contará com 10 faixas. Um tema musculado,pujante e acima de tudo extremamente dançável, que aposta numa sonoridade entre guitarras mais angular, à la  Franz Ferdinand, com uma electrónica bastante forte e marcada. Para além do single,  destaque ainda para o trabalho de Vasco Mendes na realização do videoclip, rodado na cidade do Porto.

A redação da Punch já ouviu o álbum na integra e pode dizer que é provavelmente um dos discos do ano, a quem ninguém vai ficar indiferente! A festa de apresentação do disco acontece a 31 de Março, numa Listening Party no Incógnito Bar em Lisboa, com a presença de todos os membros que formam o projecto ao vivo. Todo o disco vai ser escutado, seguido de um DJ Set de Rui Maia.

Lúcio Roque