O Verão acabou exatamente há dois dias e, com esse fim, vem o início de um novo semestre, e todos sabemos que um novo semestre vem sempre acompanhado de festas académicas. Foi no passado sábado que uma dessas festas académicas, diferente de todas as outras, organizada pela Universidade Nova de Lisboa, aconteceu no Campus de Campolide, onde pudemos desfrutar de um belo final de tarde, sentados no relvado da Nova SBE, e a ouvir a nova música portuguesa.

Já com o sol a pôr-se, o jovem Manel Gonçalves, mais conhecido por nós como Primeira Dama, abre o festival no palco escadaria. Apesar das suas letras fantásticas e as suas melodias cativantes, notou-se que o público não aderiu a este concerto, que se resumiu a um concerto para passar o tempo e ver o pôr do sol de uma maneira mais agradável. Seguiram os Cruzes Canhoto, no palco relvado, com outro concerto que não aqueceu nem arrefeceu. A banda, que mais parecia estar num ensaio de garagem, não conseguiu cativar o público que ali se encontrava, que foi subindo até ao palco escadaria para ver o artista que ia atuar a seguir.

NOVA Música'17: um ambiente académico com uma pitada de música portuguesa
NOVA Música'17: um ambiente académico com uma pitada de música portuguesa

Podemos dizer que o festival só começou realmente com a entrada de Luís Severo que, em momento algum, deixou o público aperceber-se do seu nervosismo, nem os aviões perturbarem o seu concerto. Com o público atento e a cantar as suas músicas que exprimem o seu sentimento pela bela cidade de Lisboa, este cantor-autor deixou-nos com vontade de ouvir mais do seu estilo storytelling, e com certeza aumentou a sua lista de fãs. Continuou o festival com os Polegar, que impressionaram tudo e todos com um concerto que animou logo o público, que dançou para conseguir esquecer o frio que já se começava a sentir, e mostraram que, de há dois anos para cá, quando participaram no concurso para tocar neste mesmo festival, cresceram como banda, e estavam mais que preparados para tocar no mesmo palco onde tocaram, na edição anterior, os Capitão Fausto.

NOVA Música'17: um ambiente académico com uma pitada de música portuguesa
NOVA Música'17: um ambiente académico com uma pitada de música portuguesa

Antes do último concerto no palco relvado, as Golden Slumbers, com as suas vozes que se completam de uma maneira incrível, mostram que uma relação de irmãs pode dar lugar a uma ligação que se exprime em harmonias deslumbrantes, num concerto calmo, e onde pudemos identificar um ambiente familiar neste palco. Chega a meia noite, e a banda pela qual todos ansiavam sobe ao palco relvado. Os Linda Martini, mais uma vez não desiludem, fechando o palco relvado e dando as boas-vindas a mais um semestre da melhor maneira possível, com um dia marcado por música alternativa e indie, em que o público levou uma lição catedrática de como fazer rock em Portugal pela realeza das típicas “mochadas”, que se fez sentir durante a “Cem metros sereia”, que o público cantou do inicio até ao fim.

NOVA Música'17: um ambiente académico com uma pitada de música portuguesaNOVA Música'17: um ambiente académico com uma pitada de música portuguesa

Só podemos dizer que ficamos à espera de mais uma edição deste festival universitário, que consegue apresentar ao mundo académico a bela música portuguesa que há por aí.

Texto: Márcia Cabral
Fotografias: Lúcio Roque e Pedro Barata