Em 2004, o baixista Mike Kerr e o baterista Ben Thatcher juntaram-se e editaram o primeiro álbum de originais sob o título Royal Blood. São de Brighton, Reino Unido, e, com o lançamento do primeiro álbum, provaram encantar os amantes de rock num formato que à primeira vista parece muito simplista, mas que faz as delícias de muitos. Ao unir as sonoridades do baixo ao ritmo da bateria, os britânicos são capazes de preencher grandes palcos como se de uma enorme banda se tratassem! Estiveram no NOS Alive este ano e regressam este sábado à capital, para a apresentação da criação mais recente, How Did We Get So Dark?, álbum que lançaram em Junho deste ano. Dos vinte temas já editados pelos Royal Blood, escolhemos os dez que mais ficam no ouvido.

“Better Strangers” – Royal Blood
A bateria a puxar a batida, os agudos do baixo acompanhados pelos agudos da voz, e a incrível distorção que acompanha tudo o resto, fazem de “Better Strangers” um tema que faz jus ao conceito de drum and bass.

“Little Monster” – Royal Blood
Soa a uma guitarra, mas é o incrível baixo de Mike Kerr que ouvimos neste e nos restantes temas. É difícil acreditar, mas foi assim que os Royal Blood conquistaram o público, como um dueto simplista, mas capaz de preencher os maiores palcos internacionais.

“How Did We Get So Dark?” – How Did We Get So Dark?
É o tema que dá título ao último longa-duração e o que ganha o formato mais pop dos temas dos Royal Blood. No entanto não deixa de ser uma poderosa música de um dos mais poderosos duos do Reino Unido.

“Ten Tonne Skeleton” – Royal Blood
A grande questão que paira no ar, ao ouvir qualquer um dos temas dos Royal Blood, é: será que se trata mesmo de um dueto? Parece impossível, e “Ten Tonne Skeleton” é um enorme reforço da questão. Mas é verdade, são dois e são implacáveis.

“I Only Lie When I Love You” – Royal Blood
“I Only Lie When I Love You” tem já oito milhões de audições no Spotify e é um dos temas mais pesquisados no Youtube. E, embora o instrumental seja grande foco nas criações dos britânicos, neste tema há um especial destaque para a voz de Mike Kerr e para o incrível coro no refrão. E se esta é uma música de amor, quem diria.

“Hole In Your Heart” – How Did We Get So Dark?
Parece um slow, mas basta um minuto de “Hole In Your Heart” para nos apercebemos que se trata de um tema com sangue real. E finalmente temos Mike Kerr ao teclado!

“Lights Out” – How Did We Get So Dark?
Também do mais recente álbum, “Lights Out” é um dos temas que nos deixa mais desejosos que chegue sábado.

“Hook, Line & Sinker” – How Did We Get So Dark?
É difícil escolher o que mais se destaca neste tema: se o incrível instrumental, se o subtil cowbell, se os agudos de Mike Kerr a acompanhar os do baixo. De qualquer das formas, merece definitivamente um lugar de destaque entre os três melhores.

“Figure It Out” – Royal Blood
A força das linhas de baixo nos temas dos Royal Blood já não soa estranha. No entanto, ganha um impacto especial em “Figure It Out”. E enquanto Mike Kerr tenta perceber o que se passa, nós ganhamos uma certeza: os Royal Blood chegaram para ganhar.

“Out Of The Black” – Royal Blood
É o tema que abre o álbum de estreia dos britânicos, que foi merecedor de nomeações não só pela Mercury Prize mas também pela Classic Rock Magazine para melhor álbum de ano. E, com um início destes, entendemos o porquê de tanto sucesso. Até parece fácil.

Maria Roldão