No passado dia 18 de Novembro, o Sabotage Clube foi o local onde a banda lisboeta juntou amigos e fãs para recordarem o seu percurso discográfico. Cativando o público desde a primeira música, os Trêsporcento comprovaram que o palco é o seu verdadeiro habitat natural.

Pouco passava das 23:20 quando os Trêsporcento subiram ao palco. Foi o tema “Não Chegues Tarde” que iniciou a noite e que marcou o ritmo para a totalidade do concerto. Mostrando-se sempre muito confortável em palco, o sexteto apresentou temas tanto dos seus primórdios enquanto banda (como é o caso de “Macacos”), como do seu álbum mais recente, Território Desconhecido, editado em Abril de 2017.

Em ambiente familiar e de casa cheia, os Trêsporcento expressaram as suas inquietações e confissões através de letras emotivas, sempre acompanhadas por um instrumental onde a percussão tem um papel de destaque. A banda mostrou a sua versatilidade, passando, com uma aparente descontração, de músicas com emoções explosivas (como “Quero Que Sejas Minha”) para temas onde prevalece a melancolia (como “Para Subir Há Ajuda”). Com a sua energia contagiante, a banda e o público tornaram-se um só ao longo do concerto, cantando em uníssono as grandes canções da banda. Com o tema “Espero”, o último da noite, os Trêsporcento colocaram o clássico rock ‘n roll de parte, acalmando os ânimos para irmos de alma sossegada para casa.

Os Trêsporcento mostraram, mais uma vez, que são uma voz sui generis no panorama da música portuguesa. Sem grandes espetáculos, chegam ao palco e dão tudo o que têm, comprovando que a música é a melhor forma de evasão da rotina.

Joana Enes
Fotografia: Joaquim Simões