É um facto mais do que confirmado. A música portuguesa está viva e recomenda-se. A cada dia que passa, cada género e subgénero musical floresce e somos presenteados com novos projetos de potencial e qualidade inigualáveis. O trio SLR, composto por Bruno Moreira, Catarina Moreira e Luís Água, é a prova disso e promete despertar os sentimentos mais íntimos, que temos recalcados na nossa mente.

Os três membros juntaram-se após Bruno e Luís começarem a fazer juntos bandas sonoras para os seus filmes académicos. Devido à relação de sangue de Catarina e Bruno, a presença desta era uma constante e foi inevitável que a vontade de fazer música os juntasse. O seu nome, tal como aparenta, é uma analogia  às máquinas fotográficas SLR – que permitem ao fotografo ver exactamente o que está a fotografar – e ao contacto dos seus três elementos com o audiovisual. Este transmite e reflecte realmente o que são e o que sentem. Com influências directas e indirectas dos universos sonoros únicos e peculiares de Oh Wonder, Isaura, London Grammar ou The XX, produzem uma misto de R&B melancólico, com uma  pop electrónica, doce e eloquente, com vocábulos íntimos e hipnotizantes aos quais não conseguimos ficar indiferentes…

“If You leave Me” é o seu primeiro avanço. Este foi escrito e produzido em conjunto com Ben Monteiro (D’ALVA), e a acompanhá-lo temos um vídeo ofegante e intenso, que retrata tanto uma história de amor como como o sentimento e o medo da perda, da angústia, do desespero e do abandono. É de realçar que o tanto o vídeo como a música espalham o trabalho em conjunto dos três elementos, visto que os três participam nas vozes (sendo que os irmãos Bruno e Catarina estão na linha da frente como se dum uníssono se tratasse) e visto que todos deram o seu contributo para o video – Bruno Moreira na realização, Luís Água na direcção de fotografia e Catarina Moreira na direcção artística.

Depois de o ouvirmos em loop, podemos afirmar que estamos apaixonados pela sonoridade do seu universo e que queremos mais… e quanto mais cedo, melhor.

Lúcio Roque