Ao ouvirmos os dois trabalhos – Love and Forgiveness (2015) e Homebound 456 (2017) – que os Vaarwell lançaram, ficamos impressionados com a maturidade e profundidade que transportam com eles. Os sentimentos que transmitem têm um certo peso, que para as pessoas mais novas, por vezes, não é fácil transmitir e traduzir em canções. O lado cinzentão destas músicas sente-se, mas sentimos sempre a sua sinceridade. E isso, seja dito por alguém de 10 ou 90 anos, é sempre mágico. Antes da sua actuação na noite Colado esta quinta-feira desafiámo-los para desvendarem as músicas que já lhes marcaram a vida, alguns guilty  pleasures e ainda artistas que devemos ter em atenção.

Qual foi a primeira música que ouviste em repeat?
Margarida
: Provavelmente o “Hit Me Baby One More Time”, lembro-me de ter 5 ou 6 anos estar sempre a ouvir o disco da Britney Spears.
Ricardo: Green Day – “When I come around”. Green Day foi uma das primeiras bandas da qual fui um grande fã. Sempre que ouço o Dookie sinto uma enorme nostalgia por ter sido um dos discos que mais ouvi entre os meus 10-14 anos.

A música que vais ouvir para todo o sempre?
Margarida
: “Cayman Islands” dos Kings of Convenience, não tenho grande explicação – gosto muito dela.
Ricardo: James blake – “Unluck”, é a música que abre o primeiro álbum do James Blake e uma das minhas preferidas dele até hoje. Ele é o meu produtor musical preferido e acho que é inevitável que vá ouvir esta música para sempre.

Uma música que gostasses de ter escrito?
Margarida: “Soothing” da Laura Marling, escolhi uma aleatória porque gostava de ter escrito todas as músicas da Laura.
Ricardo: Kings of Convenience – “Cayman islands”, é uma grande canção e os Kings of Convenience são uma banda que ouço desde que me lembro.

A música que define a tua juventude?
Margarida: Há várias, principalmente de soundtracks de filmes e séries da disney, mas o que me dá mais nostalgia de ser criança é o “Uptown Girl” de Billie Joel.
Ricardo: La dispute – “such small hands” – Grande parte da minha adolescência foi marcada pelo punk e hardcore melódico e esta foi uma das canções que mais ouvi nessa altura.

A letra de uma música que te inspire?
Margarida:
“Never Going Back Again” dos Fleetwood Mac foi um grande break-up para mim.
Ricardo: The National – “Anyone’s Ghost”,  acho o Matt Berninger dos National um óptimo escritor e esta é uma das músicas que tem uma mensagem mais forte dos National.

5 músicas de novas bandas que não paras de ouvir e que nós devemos ter em atenção?
Margarida:
 ”Zachariah” – Bad Sounds | “Gone” – Monday | “Blame” – Tora | “Ocean Eyes” – Billie Eilish | “Onda” – Sease.
Ricardo: Superorganism – “M.I.N.D” | Gus Dapperton – “I’m Just Snacking” | Grandfather’s House – “You Got Nothing to Lose” | Maggie Rogers – “Dog Years” | Surma – “Plass”

Punch Redação