Na sexta-feira Santa, os Monday apresentaram o seu álbum a solo One, no Musicbox em Lisboa. Numa noite fria e ventosa, o concerto contou com uma sala nem muito cheia nem muito vazia.  Apesar de durante o concerto referir sempre a banda na primeira pessoa do plural, os Monday são liderados por Cat Falcão em palco, nas letras e no imaginário estético e musical. 

Com as Golden Slumbers, o poder do duo funciona muito bem com as harmonias melódicas das duas irmão Falcão. Já no projecto Monday, a voz de Catarina a solo faz-se logo notar. Não só por ter uma força vocal incrível, mas também porque das músicas sendo mais pessoais funcionam melhor a uma só voz. Aliás, a voz jovem Falcão foi a melhor surpresa da noite, é versátil e conseguiu transmitir emoção em todos os momentos do concerto. Em palco, os Monday apresentaram-se com cinco elementos: voz, guitarra, baixo, bateria e teclas. Uma formação clássica. Uma das pessoas que contribuiu muito para este projecto foi António Vasconcelos Dias, que foi o produtor do álbum. Além de já ter participado em várias bandas, António, de guitarra na mão, mostrou ser cúmplice em vários momentos e transmitiu alguma da energia que materializou em One.

Monday está “In Control” [Concerto de Apresentação "One" - Musicbox Lisboa]

Cat Falcão entrou em palco com um blazer branco, de t-shirt e calças pretas, e na sua t-shirt em roxo estava escrito “In Control”. O concerto abriu com “Bad Desire”, sem medos e sempre segura. Seguiu sem grandes artifícios e com momentos mais intimistas, nos quais Catarina se assumia sozinha com a guitarra. Isso aconteceu por exemplo no início da música “Pink Moon”, onde, com apenas uma luz sobre si e o resto do palco todo escuro, toca a guitarra a solo. Aliás, a cantora referiu na nossa PunchLine que gostaria de apresentar o seu álbum num espaço semelhante a um bar de stand-up comedy, sóbrio, escuro e onde pudesse fumar e beber à vontade. Durante todo o concerto a banda mostrou ser regular e confiante. Sempre com poucas falas, Catarina mostrou uma solidez quase como se tivesse já pisado muitos palcos, assumindo o concerto pelo que ele valia. Não há deslumbres e não há tiques. Numa das surpresas da noite, cantou um tema de Rihanna, “Love on the Brain“. Aqui mostrou como a sua voz pode ser versátil ao cantar temas mais pop e leves, que levam a mostrar outros atributos vocais, diferentes daquilo que tem mostrado até hoje. O concerto acabou a música “Hold Your Tought”, sem direito a encore.

Saímos com a certeza que Cat Falcão está “In Control”, em cima do palco e fora dele. A sua presença em palco consegue mostrar uma mulher que, apesar das fragilidades que mostra nas suas letras, avança para a resolução dos seus problemas sem arrependimentos. É uma jovem-mulher que não se deixa intimidar e contagia quem a vê, uma inspiração para todas as jovens que se querem afirmar no meio artístico e encontrar o seu lugar.

Texto: Rodrigo Castro
Fotos: João Conceição