No dia 26 de abril, Filipe Sambado apresentou no Lux Frágil o seu mais recente disco Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo. Contando com Vaiapraia e As Rainhas do Baile para abrirem as hostilidades, foi Sambado o “Dono da bola” da noite – mas a boa disposição coloriu ambos os concertos.

Na primeira parte, o público teve a oportunidade de presenciar um espetáculo de outra banda da produtora Maternidade, os famosos Vaiapraia e As Rainhas do Baile. O trio constituído por Rodrigo Araújo, mais conhecido por Vaiapraia, Shelley Barradas (Frankie Wolf) e Lucía Vives (baterista das Ninaz), surgiram no palco todos vestidos com impermeáveis brancos. O seu estilo singular já é mais do que habitual para as pessoas que os seguem, bem como a sua energia em palco. Vaiapraia, toda a gente sabe que gosta de interagir com o público. No concerto, começou por perguntar aos que assistiam como é que tinha sido o 25 de abril – dia anterior ao concerto. Mas tudo tinha o seu propósito. Foi aí que Rodrigo aproveitou para opinar sobre esse dia tão celebre na comunidade portuguesa. “A liberdade está longe de ser conseguida.”, afirma. O público reage com gritos e aplausos.

Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo [Lux Frágil - Lisboa]

Já, por volta das 23h30, Filipe Sambado e os seus “acompanhantes de luxo” pisaram o palco. Ao afinar, um dos acompanhantes, Manuel Lourenço – mais conhecido por Primeira Dama – pediu ao público, sorrindo, para conversarem mais. Também Sambado aproveitou a situação para brincar com a namorada – “A Cecília está sempre à frente. Impressionante!”, diz. Sambado começou o concerto com a música “Dá Jeitinho”. O espetáculo contou ainda com “Só beijinhos”, “Dono da bola” e “Em paz”, músicas do seu novo disco. O encore foi marcado pelas músicas do disco Vida Salgada, como “Aprender e Ensinar” e “Subo a montanha”. O brilharete do “Manel”, no sintetizador, também não deixou ninguém indiferente.

O concerto terminou com Sambado em tom de brincadeira – “Depois agradeço a todos, está bem?”.

Texto: Liliana Gonçalves
Fotografias: Marcos Torres