Os SEASE deram à costa para nos mostrar que o trip-hop também tem lugar em terras lusitanas. As suas canções parecem ter uma fragilidade inerente, na medida em que tudo nos parece exposto de uma forma muito sincera e crua. Ainda assim, há uma espécie de determinação e força que são transmitidas para a música, que fazem com que temas como a perda, o amor, a expectativa e a saudade sejam aqui descritos de um modo leve e natural, que aconchega e não pune, que tranquiliza e não entristece. Antes da sua actuação no Aniversário Punch no dia 31 de Maio (esta quinta-feira, com os SLR, Vaarwell, Ciclo Preparatório, Casabranca, Lewis M. Vs UhAhUh e Discos Extendes) desafiámo-los a desvendarem as músicas que já lhes marcaram a vida, alguns guilty pleasures e ainda artistas que devemos ter em atenção.

Qual a primeira música que ouviste em repeat
Miguel: Cesária Évora  -­  “Sodade”
Das primeiras memórias que tenho é ouvir esta música enquanto o meu pai preparava o churrasco, quando estava de férias com a minha família no Algarve.
Rita: Crosby, Stills, Nash & Young  –  “Out House”
Em qualquer viagem, grande ou pequena, tocava esta música. Era um único CD, de músicas soltas, que tocava no carro do meu pai, e lá estava esta que era uma preferida.  Ainda de cadeirinha, com esta música desenvolvi a arte de fingir que falo inglês.
Gonçalo: Sade  –  “Jezebel”  
Deve ser a primeira memória que tenho, acordar aos sábados de manhã ao som de Sade, enquanto a minha mãe limpava a casa.

A música que vais ouvir para todo o sempre
Miguel:  The xx  -­  “Intro”
Já me perguntaram que música levaria para uma ilha, sendo que só poderia ouvir essa mesma música. A resposta foi a mesma. Esta é das poucas músicas que consigo ouvir independentemente do meu estado de espírito. Nunca me vou cansar disto.
Rita:  Bon Iver  –  “Perth”
Não consigo falar desta música sem mencionar todo o álbum. Tem uma mensagem tão forte, é tão directo a mexer com a sensibilidade de quem o ouve, os arranjos são tão imponentes. Justin Vernon é um gigante. Este álbum cura.
Gonçalo:  Hans Zimmer  –  “Time”
Hans Zimmer é transcendente. Sempre que oiço esta música tenho um flashback gigante de toda a minha vida e fico sempre com uma sensação que posso fazer tudo o que eu quiser.

Uma música que gostasses de ter escrito
Miguel: António Carlos Jobim  -­  “Wave”
A música que mais gosto, de um dos meus álbuns preferidos, escrita pelo meu artista favorito (bold statement). A versão instrumental (original) é das coisas mais bonitas que já ouvi, e a letra, para mim, é a epítome do lirismo.
Rita: Banks  –  “Better”
Produção incluída, esta música é linda e faz doer. A Banks tem este poder de traduzir a dor para a letra, para a interpretação. Escreve sobre dores mundanas dando-­lhe toda a intensidade. Sempre crua, sempre transparente, sempre bonita, Banks.
Gonçalo: The xx  –  “A Violent Noise”
A maneira como a voz do Oliver soa tão confortável e se junta com a melodia, e como toda a música se desenvolve sempre num tom meio haunting é sublime.

A música que define a tua juventude
MiguelSkrillex  -­  “Rock’n'Roll (Will Take You to the Mountain)”
Não há música que me faça lembrar tanto do início da minha adolescência como esta. Apesar de não ser algo notório na música que faço, o Skrillex é uma das minhas maiores influências e uma das razões pelas quais comecei a compor e produzir música. Óptimo compositor, produtor e DJ.
Rita: Flume  –  “On Top”
“On Top” tem uma energia incrível. Esta música marca um novo tipo de saídas  à noite: sempre rumo à música. Descobri este álbum junto de amigos, e  tantas músicas de Flume se tornaram hinos!
Gonçalo:  Lana Del Rey  –  “Born To Die”
Esta música e álbum é sem dúvida um marco na minha vida. Abriu as portas  para uma nova mentalidade, outros géneros de música e, devido ao gosto  mútuo à Lana, conheci algumas pessoas muito importantes na minha vida.

A letra de uma música que te inspire
MiguelSabrina Claudio  -­  “About Time”
Este som serve de Intro para o álbum da Sabrina. A letra define quase na  perfeição o meu estado de espírito nos últimos tempos. Senti-­me ainda mais  próximo desta música quando descobri que esta senhora caiu neste mundo  apenas nove dias depois de mim.
Rita: Ella Fitzgerald & Joe Pass  –  “Nature Boy (Eden Ahbez)”
A melodia e a letra casam perfeitamente. Falam desta criatura sábia e  maravilhosa, tem uma conclusão tão simples, fácil e bonita. A versão melhor  (para mim) que já ouvi é a que aqui deixo, a de dois gigantes.
Gonçalo:Bonobo  –  No  Reason”
A voz de Nick Murphy nesta música é espectacular. Esta música e letra para  mim simboliza ansiedade e grande parte dos problemas na minha vida e por  outro lado inspira­me a ser melhor.

5 músicas de novas bandas que não paras de ouvir e que nós devemos ter em atenção
MiguelNão me tenho fixado muito em artistas novos, por isso vou antes partilhar o que descobri/tenho andado a ouvir nos últimos tempos.
Antony Left  -­  “Petals”
Sabrina Claudio  -­  “All To You”   
Men I Trust  -­  “Show Me How”
Surfjan Stevens  -­  “Visions Of Gideon”
Ross From Friends  -­  “Talk To Me You’ll Understand”
Rita:
Gonçalo  –  “Bonanza”
Tim Bernardes  –  “Era o fim”
Moses Sumney  –  “Self-­help tape”
Francisco Sales – “Paris” 
Mahalia  –  “Sober”
Gonçalo
Burial  –  “Night  Bus”
António Variações  –  “Canção de Engate”
Jaden Smith  –  “PCH”
Apparat  –  “Goodbye”
Jorja Smith  –  “Teenage Fantasy”

Punch Redação