Inicialmente conhecidos por Viet Cong, viram-se forçados a mudar de nome – hoje em dia conhecemos a banda canadiana por Preoccupations. Estão, agora, de volta para dois concertos em Lisboa e no Porto, a 25 e 26 de Janeiro respectivamente, com o selo da At The Rollercoaster.

Os Preoccupations são quatro tipos muito humildes, que não se consideram nada de especial. Eles só fazem música. Nada demais, dizem eles. A humildade é bonita e admirável mas, a verdade, é que eles são realmente algo de especial. São uma daquelas bandas que veio para ficar e marcar. São também uma das bandas pela qual aguardávamos, ansiosamente, desde a sua última visita em 2016 – já lá vão quase três anos. Pelo meio, as saudades eram tantas, que houve até quem se deslocasse a Barcelona para os ver.

Trazem New Material na bagagem. O álbum é uma ode à depressão e às emoções negativas, contra as quais tanto tentamos lutar, e que são minimizadas por quem não as sente. Vivemos numa sociedade que acha as emoções descartáveis e facilmente manipuladas – mas é mentira, não o são, nem nunca serão. É sobre estes temas que os Preoccupations tocam, que cantam e colocam o seu máximo em transmitir às pessoas o que se sente quando o que sentimos é minimizado. Construíram um belíssimo disco à volta de um tema com interesse, mas que é muitas vezes olhado de lado, com desdém por mentes que não compreendem. Quão mínimo é o ser humano.

O concerto será uma descarga de energia, uma descarga e um alívio destas emoções. Berrar, saltar e abanar o capacete ao som de músicas que nos dizem muito e letras que nos completam. Letras, também, que ajudam de certo modo a aliviar pesos mortos que temos dentro de nós. Pesos que escondemos no nosso dia-a dia, e que numa simples atividade como um concerto, podemos libertar descaradamente. Talvez seja por isso que a música é tão boa e libertadora: ninguém nos julga quando nos libertamos ao som de músicas – são só músicas, não é? É totalmente normal passarmo-nos ao som de uma boa melodia.

Os bilhetes custam apenas 15 euros e é uma ida de uma volta ao interior da mentes dos quatro intervenientes. Uma sessão de psicologia crua, para libertação de um modo histérico de emoções que consideramos menos boas. Os Preoccupations sabem o que fazem e, acima de tudo, sabem como cativar – e isso mesmo farão em ambas as cidades.  É ir. Ah, e se tiveram a oportunidade de falar com eles, façam-no. Uma conversa com eles vale-vos pela vida.

Alexzandra Souza