Depois de por Lisboa terem passado, no ano passado, para um concerto de celebração dos vinte anos de Deserter’s Songs, a banda americana de indie rock Mercury Rev lançaram no passado dia 8 de Fevereiro o seu mais recente trabalho Bobbie Gentry’s The Delta Sweete Revisited.

Este novo trabalho é um trabalho diferente e especial, um álbum de covers do emblemático Delta Sweete de Bobbie Gentry que celebra 50 anos de existência e para este contou com a colaboração de varias artistas como Norah Jones, Rachel Goswell ou Beth Orton.

“Okolona River Bottom Band” é o primeiro tema e o que conta com a colaboração de Norah Jones, um tema que tem outra face comparando ao original, mais lento e com um som muito mais preenchido em termos de instrumental o que parece óbvio dados os anos que passaram desde o tema original mas que altera um pouco a cara deste o que pode torcer o nariz aos fãs mais sérios de Bobbie Gentry mas a excelente voz e interpretação de Norah Jones consegue facilmente convencer estes. “Reunion”, um tema clássico de Bobbie Gentry e do country, um tema cujo original é quase a capela, com vozes por vezes sobrepostas, um tema rápido e alegre e que esta nova versão que é interpretada por Rachel Goswell nos apresenta um tema mais lento, angelical até talvez, uma música que soa mais a soundtrack de um filme em uma parte melancólica do que propriamente a um tema com tanta cara de country como o original. São duas músicas bastante diferentes mesmo a nova sendo uma versão da original, diferentes mas ambas boas.

“Courtyard” que nos é apresentada por Beth Orton é, na minha opinião, como se faz uma versão/cover da melhor maneira aproveitando as vantagens das novas tecnologias de som, é um renovar de um clássico que sabe bem ouvir mesmo que comparativamente ao original tenha muito instrumental mas que todo esse som se alinha da melhor maneira e que não enjoa.

Para concluir, apesar de um ou outro tema ter fugido um pouco daquilo que é a clássica Bobbie Gentry foi uma bela maneira de celebrar os 50 anos de um álbum, melhor era um pouco difícil. O álbum ficou diferente como era de esperar mas agradável ao ouvido ainda assim, todos nós gostamos de ouvir versões e covers de musicas sejamos sinceros e quando estes não desiludem ainda gostamos mais.

8/10

Pedro Dias