Surge em 2013 a Ao Sul Mundo mais conhecida como a inovadora e arrojada incentiva, lisboeta, que tem como principal missão espalhar as músicas do mundo e jazz. A missão tem sido cumprida com sucesso e de modo eficaz, aguçando cada vez mais o apetite por estes sons que mexem com as ancas. Será no próximo dia 20 de Fevereiro que Gyedu-Blay Ambolley se estreará em Portugal, acompanhado pela banda Sekondi. O ponto de encontro: B.leza.

Gyedu-Blay Ambolley é conhecido como o pai do “Simigwa Highlife”, título concedido pelo ilustre disco “Simigwa”. Para além de histórico, prima pela singularidade e ousadia. Aparece na década de 70 e desabrocha numa rompante explosão com “Simigwa-Do”, fundindo afrobeat com funk e jazz e dando então origem a um novo ritmo. Não só é uma aventura estrondosamente formidável ouvir o genial e vanguardista artista, que alterou o rumo da música do Gana, como também se torna uma viagem a uma fonte de conhecimento, musical, pronta a ser absorvida e sentida.

Intelectualismos musicais à parte, os sapatos de dança nunca podem ficar de fora destas estupendas e particulares audições. O movimento dos ritmos, que se incorporam e unem-se numa reunião de dinâmicos acordes que juntam-se, por sua vez, à voz jazzy de Ambolley. O corpo sente e a mente também: enriquecem-se e querem sentir mais e mais. O expoente da experiência será mesmo no encontro com o artista, no B.leza, no dia 20 de Fevereiro.

É uma quarta-feira que, sim, antecede uma árdua e aborrecida manhã de trabalho. Ou de aulas. Mas nada disso é um pretexto para se faltar à enérgica chama musical que vem até nós, pela primeira vez. A promessa é a garantia de um vigoroso dinamismo para enfrentar as enfadonhas ou exultantes tarefas, que nos aguardam ao raiar do sol. Primeira parte, e encerramento da noite, a cargo de Irmãos Makossa e a Afromats Crew (DJ Set). O preço é simbólico: 15 euros por uma memorável noite. 

Alexzandra Souza