Há bandas que dispensam apresentações: os Massive Attack são desses casos. Donos de um dos melhores concertos de 2016, quando estiveram no Super Bock Super Rock (a última vez que por cá tocaram), regressam agora com data dupla no Campo Pequeno, em Lisboa. Serão eles os dias 18 e 19 de Fevereiro e servem para a celebração de Mezzanine.

Opiniões à parte: os Massive Attack são uma das mais prodigiosas e notáveis bandas que o planeta tem o privilégio de ter conhecido. Indiscutível. Composta pelos excepcionais Robert Del Naja e Grantley Marshall, o duo adquiriu há largos anos um carinho especial por parte de público dos quatro cantos do mundo. Os ingleses são genialmente bons. Genialmente únicos. Genialmente críticos sem, em exagero, ferir susceptibilidades. Genialmente eficazes no que toca a consciencializar. A experiência de ir a um concerto deles é inigualável e quase inexplicável em palavras. Não só da sublime música vivem as experiências ao vivo, mas de todo um visual necessário para entender a mensagem que eles querem e conseguem passar. É um ataque massivo às consciências humanas – talvez esta seja a melhor maneira de descrever a experiência. E mesmo assim parece pouco. Ainda parece cair muito ao lado do que significam os concertos deles.

Será no Campo Pequeno. E não só será uma consciencialização de massas como também o aniversário de um dos melhores álbuns de sempre do mundo da música. A banda de trip hop lançou há 21 anos Mezzanine, um dos seus melhores longa duração de sempre, que lhes conferiu lugar de ouro entre os melhores do mundo. O concerto, inserido na tour “MezzanineXX1″,  promete ser mais que apenas uma experiência musical – será, no fundo, um novo espectáculo que consiste numa produção audiovisual de Elizabeth Fraser, desenhada por Robert Del Naja, com mais algumas participações.

Ambas as datas estão esgotadas: não seria para menos. Serão, garantidamente, dos concertos do ano. Fossem estas palavras por mera caridade ou amor pela banda e estaríamos a ser irrealistas. Afinal de contas, uns dos melhores concertos a que podemos assistir na nossa vida será mesmo um dos Massive Attack. Acrescentamos, ousadamente, talvez, que dificilmente se verão mais semanas deste nosso 2019 a começar tão bem quanto esta. Um obrigada à Everything Is New, promotora dos concertos. Quem apanhou bilhetes, aproveite e encha a alma.

Alexzandra Souza