O nome dela é Marinho. Filipa Marinho. Simplifica-o em palco, tal como faz à sua musicalidade. Prova viva disso é o tema que hoje estreamos, em rigoroso exclusivo (como sói dizer-se), “Ghost Notes”, que deixa de existir meramente em espírito para se entranhar em nós. Trata-se do avanço inicial para o longa-duração que a escritora de canções prevê publicar no Outono de 2019.

“Ghost Notes” não é um tema assombrado, muito pelo contrário; os seus acordes docinhos, a batida pausada e a voz de Marinho, tudo altamente mundano, tornam-na uma canção desassombrada, num discurso bastante directo pela autora. Inspirando-se na folk americana, “Ghost Notes” situa Marinho entre uns Monday e Minta & The Brook Trout, utilizando outras vozes femininas portuguesas que também navegam nessas correntes. Uma canção que nos aquece nestes dias solarengos que ainda não são suficientemente soalheiros para nos aventurarmos sem o leitor de mp3 na algibeira devidamente carregado de temas que nos agasalham o espírito.

E a data de lançamento deste single não é inocente: hoje assinala-se o Dia Internacional da Mulher, que será celebrado a preceito por Marinho nas Punch Sessions #6 (que esta noite prometem aproveitar a proximidade do Tejo para embarcar o Titanic Sur Mer numa viagem sem igual), e a autora de “Ghost Notes” não esconde a sua crescente veia feminista. Adaptando a frase duma outra enorme senhora, sublinharíamos: Women have the Power!


Álvaro Graça