Luís Judícibus tem um apelido único e pertence a uma única, os Them Flying Monkeys. Juntamente com mais quatro amigos começaram esta banda que tem como inspiração o rock alternativo, a misteriosa vila Sintra, todo um imaginário pop onde há porcos com asas e outros seres imaginários. O conjunto lançou um EP homónimo em 2015 e o primeiro álbum foi editado em 2017 com o título, “Golden Cap”. Mais recentemente lançaram o o single “Come Upstairs”, que é um avanço do próximo trabalho que será lançado em breve.

Música que faz sempre lembrar o verão? Wakin on a Pretty Day – Kurt Vile

Bebida para ver um concerto ao pôr-do-sol? Prefiro um iogurte de avelã.

Amigo com quem vais a concertos? A maior parte das vezes costumo ir com o Xico (teclista), mas também vou com o Hugo (baterista) ou com o Sá (guitarrista).

T-shirt de concerto/festival favorita? Não tenho o hábito de comprar t-shirts, são sempre caras. Acabo sempre a levar um disco

Objectivo para este verão? Preparar o lançamento do nosso novo álbum.

Praia para tocar guitarra? Não gosto de praia.

Concerto que foi uma desilusão? O nosso último concerto da tour europeia. Não é que tenha sido uma desilusão completa, mas como estava doente, perdi a voz e foi complicado. Nunca me tinha acontecido.

Três bandas para um churrasco punk? Idles, Holograms e Tu Metes Nojo.

Gelado favorito? Taça Itália da Conchanata.

Melhor imperial/fino de Portugal? Sou terrível a apreciar cerveja. Diria que são todas iguais.

Bola com creme ou sem creme? Sem creme, definitivamente.

Música pop para numa festa na piscina? Jain – Makeba

Música pimba favorita? Depois da Uma – Quim Barreiros. Demorei imenso tempo a decifrar o trocadilho desta. O Tomázio (baixista) era a melhor pessoa para responder a isto.

Festa de verão que ficou na memória? Qualquer uma em casa do Xico.

Um músico com quem acampavas? O Simon dos Grand Sun. Já dormi com ele várias vezes, mas nunca acampámos juntos.

Álbum que levavas para uma ilha deserta? Heaven Or Las Vegas dos Cocteau Twins, para me sentir acompanhado de quem me mostrou este disco.

Concerto nas grades ou numa zona calma? Numa zona calma para haver mais probabilidades de acabar com polícia. É sempre bom quando assim é.

Primeiro local em Portugal para mostrar um turista? Qualquer um, menos Sintra. Isto já está cheio de gente.

Como se chamaria um festival com a tua curadoria? Não faço ideia. Sou péssimo a inventar nomes.

Livro para ler na praia este verão? Se tiver mesmo de ir à praia, levo “O Senhor Brecht” de Gonçalo M. Tavares.

Momento mais marcante em festival de verão? O concerto que demos no festival BBK Bilbao em 2016.

Música para fechar a noite? Blue Monday – New Order