Os Allah Las regressaram a Lisboa para inaugurarem a sua mais recente tour europeia, perante uma sala Lisboa Ao Vivo completamente esgotada. Foi na noite de quarta-feira, dia 25 de Setembro, que nos deixámos levar pelo garage rock destes quatro californianos que nos vieram aguçar o apetite do público para o seu 4º longa duração, LAHS, com edição marcada já para dia 11.

Allah Las no Lisboa Ao Vivo – olá Califórnia! Tim Hill

Tim Hill, o artista de abertura, tocou os primeiros acordes às 21h em ponto. Acompanhado apenas pela sua guitarra e harmónica em palco, Tim deu o seu primeiro concerto em Portugal perante uma plateia que ainda não tinha serenado os ânimos, de forma a poder, de forma digna, usufruir da sua música. Ainda assim, com uma cerveja portuguesa à mão de semear, Tim contou-nos, cantando, o que é que não gosta em Los Angeles e mais algumas histórias, em tom sereno, ao longo de 30 minutos.

O intervalo que decorreu até aos Allah Las subirem a palco deu tempo para a esgotada sala encher. O Lisboa Ao Vivo, sala do Beato que recentemente se juntou à cena lisboeta, revelou-se ideal para este concerto. Mantendo o aspecto de armazém, e com uma decoração de cariz industrial, acolhe a maioria do público na plateia plana, mas tem ainda alguns privilegiados lugares sentados no seu primeiro andar.

Allah Las no Lisboa Ao Vivo – olá Califórnia!

O quarteto de Los Angeles, fundado em 2008, é formado por quatro conhecidos de longa data: Miles Michaud (guitarra) Pedrum Siadatian (também na guitarra), Spencer Dunham (baixo) e Matthew Correia (bateria). Mantendo a formação original, a banda faz-se acompanhar em tour precisamente pelo artista de abertura, Tim Hill, que toma conta dos teclados.

Talvez para deixar o público envolver-se pelos ritmos garage rock da banda, a primeira música que os Allah Las tocaram foi quase estritamente instrumental. Não tardou até que Miles assumisse a voz principal, enquanto a restante banda partilhava o coro. Ao longo do concerto, Pedrum e Matthew tiveram também a oportunidade de liderarem a voz mas, curiosamente, sentimos que alguns dos melhores momentos da noite foram puramente instrumentais, quando a banda entrava em modo jam session. De facto, as guitarras e o baixo formavam, principalmente nestes momentos, viciantes e psicadélicas melodias com o dom de transportarem o público directamente para a Califórnia dos anos 60.

Allah Las no Lisboa Ao Vivo – olá Califórnia!

Êxitos maiores como “Tell Me (What’s on Your Mind)” (Allah-Las, 2012) mereceram coro do público no refrão, mas algumas músicas do prometido álbum LAHS, como “In the Air”, tiveram também espaço no alinhamento. Entre músicas, Miles interagiu frequentemente com o público, agradecendo o regresso ao nosso país. Num concerto que se manteve muito fiel a um único ritmo, as duas últimas músicas aceleraram um pouco o metrónomo, com “Could Be You” (Calico Review, 2016) e “Catamaran” (Allah-Las, 2012). O encore trouxe mais um par de êxitos e permitiu ao público dançar mais um pouco, nesta noite que nos devolveu o sabor a Verão.

Texto: Andreia Duarte
Fotografia: Joana Viana