Bug vem de Paços de Ferreira e leva-nos a entrar no seu íntimo  em “Tripolar”, seu EP de estreia. Contendo seis faixas, com produções de Duarte Dias, Kap e do próprio, podemos assistir à construção de uma série de cenários díspares, temas que nos brindam com sonoridades antagónicas que variam entre os ritmos orgânicos e acelerados de “Bom dia” e a melancolia sintetizada de “Estilhaço”. Os temas, escritos na íntegra por Bug, são interpretados com uso de variadas técnicas dentro do rap, com associações spoken word e refrões cantados, a solo ou com uso de coros que procuram imergir o ouvinte nesta nova realidade.

“Tripolar” foi um pedido de autoajuda, um desabafo do artista que tenta resolver as suas inseguranças e dramas a partir da experimentação musical. O tema “Borboletas” aparece como resumo para este projeto, sendo que é nela que o artista aproveita para fazer uma retrospetiva e consciencialização sobre o que realmente se passa durante este processo criativo, os altos e os baixos do seu humor e a forma como eles se demonstram inevitavelmente indissociáveis.

Rodrigo Toledo