“A amizade e a união de interesses, aliadas a uma atitude irreverente e  juvenil, possibilita a criação dos Grand Sun”.Foi assim que se apresentaram à Punch, a Portugal e ao Mundo, em 2016 , e  o primeiro single, “Apolo”(produzido por Filipe Sambado), já nos tinha deixado curiosos.

É com o seu EP de estreia, The Plastic People of the Universe,que os Grand Sun nos  apresentam, no fundo, o que esperávamos deles: uma banda com uma sonoridade coerente, bem trabalhada e bem produzida. “Go Home” e as suas teclas vindas dos anos 70, entram sem pedir licença e a secção de ritmo trata de nos por a bater o pé. O refrão (“I just wanna go home”) transpira single a cada nota dada. E, já que é de singles que estamos a falar, a segunda música, “Little Mouse”, foi o segundo single extraído do EP. A sua ambiência surf-rock tem um quê de especial, é música portuguesa emigrada na Califórnia e dá-se bem com os nativos.

Se as duas primeiras músicas já nos deixaram curiosos para o que se segue, é com extremo agrado que percebemos que a segunda metade do álbum (arredondado por baixo) esconde as poderosas “Flowers” e “The Clown”. Comecemos pela primeira: o baixo deambula submerso, acompanhado pelo coro de vozes, e é notório que o psicadelismo está presente da primeira à última nota. Chegamos até a constatar que as suas flautas (de “Flowers”) nos trazem um aroma que em nada ficam a dever às saídas de Abbey Road. O piano de “The Clown” entra que nem uma luva na ordem musical do EP e, se já falámos da Califórnia (e do seu surf-rock), e dos psicadelismos de uma determinada rua de Liverpool, o ambiente de “The Clown” poderia levar-nos à Broadway, que não demoraríamos dois segundos a aceitar o convite. “Round and Round, Round and Round, Round and Round” é assim que  começa a última mas não menos importante música do EP. O seu nome, como suspeita o leitor: “Round and Round”, e o trocadilho não acaba aqui: o instrumental funciona como que um carrossel e continuam as nuances psicadélicas já referidas anteriormente. Um fim digno para um sólido primeiro projeto.

Em The Plastic People of The Universe os Grand Sun têm aquilo que lhes era pedido: uma boa carta de apresentação, que nos faz por o CV no montinho dos “contactar para entrevista”.

Nota: 7,5/10

Diogo Silva